“Gastroturismo”

“Gastroturismo” é mais do que viajar e conhecer os pontos turísticos locais. É focar a viagem na gastronomia local. Aprendi isso com o artigo publicado hoje no portal UOL Viagem, “Interessados na culinária de diferentes lugares do mundo, viajantes criam o “gastroturismo”“.

Sem saber, eu já fiz algumas viagens “gastroturistica”. Principalmente quando o destino é uma cidade próxima. Já fiz vários “bate e volta”, onde ia até a cidade, almoçava e voltava. É algo que gosto muito.

E mesmo em viagens mais distantes, além de passar por vários pontos turísticos, também gosto de conhecer a comida local. Quer coisa melhor do que comer um belo prato de camarão ao visitar uma cidade litorânea? Ou experimentar um prato mais exótico da culinária de outro país, como o Andrew Zimmern do programa Comidas Exóticas.

Gostei da idéia de fazer uma viagem focada na gastronomia. E ainda melhor se puder colocar a mão na massa e aprender a preparar um prato local. Um dia ainda serei um verdadeiro “gastroturista”.

Tenho algumas histórias engraçadas que envolvem a comida, que aconteceram durante viagens:

Uma foi quando estava em Porto Seguro, Bahia, com minha esposa Rosana. Em uma noite, eu queria comer um bobó de camarão, prato típico da região. E a Rosana não gostava de camarão. Tínhamos 2 opções, pedir 2 pratos e acabar sobrando, pois com certeza seria muita comida, ou então pedir apenas o bobó, ela experimentar e se realmente não gostasse, pedir outro. Ficamos com a segunda opção e para minha surpresa, ela adorou e agora sempre come camarão e eu me dei mal, pois antes sempre que havia camarão no prato, eu ficava com todos, agora dividimos.

Outra foi em uma viagem para os Estados Unidos com a minha irmã e a amiga dela, a Érika. Um dia, a minha irmã foi participar de um congresso, então a Érika e eu passeamos sozinhos. Na hora do almoço, paramos em um dos restaurantes da rede Denny’s. Estávamos escolhendo os nossos pratos, quando a Érika me perguntou o que eu iria pedir. A minha escolha foi o prato mais completo. Porém, não entendi uma coisa, qual era a carne que acompanhava o prato. Mesmo assim, pedi esse e a Érika resolveu pedir o mesmo. Para a surpresa dela, a carne era fígado de boi, que eu adoro e ela não. No fim, ela até que apreciou a carne e ficamos bem satisfeitos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


*